LogoLHP

ELISA para detecção do Antígeno p24

O antígeno P24 é uma proteína de 24 Kilodaltons do nucleocapsídeo do vírus da imunodeficiência humana tipo I (HIV-1), reconhecido como agente da síndrome da imunodeficiência adquirida (SIDA - AIDS). Esta infecção apresenta basicamente três fases:

A) Fase aguda: após a exposição inicial, ocorre a replicação do vírus nas células mononucleares da membrana mucosa e linfonodos locais, atingindo posteriormente a corrente sanguínea. Por isso, o antígeno P24 é o primeiro marcador sorológico a ser detectado. Neste período, os testes comumentes utilizados para o diagnóstico da infecção pelo HIV, que detectam apenas anticorpos contra proteínas virais, ELISA e Western blot , ainda não se positivaram. É a fase chamada "JANELA IMUNOLÓGlCA" e dura em média 3 semanas a 3 meses. Cerca de 5O% dos pacientes apresentam uma infecção semelhante a mononucleose.

B) Fase assintomática: enquanto os anticorpos para o vírus vão aumentando, os antígenos virais declinam ou desaparecem. Esta fase pode durar anos.

C) Fase da doença clinicamente aparente: é quando o antígeno P24 reaparece e isso usualmente coincide com a perda do anticorpo anti-P24. É a época em que se inicia o aparecimento de sintomas constitucionais e infecções oportunistas (SI DA/AIDS).

Indicações para Utilização do Elisa para Detecção do Antígeno P24

  1. Período da janela imunológica.
    Quando existe suspeita de infecção precoce no paciente soronegativo.

  2. Como marcador da evolução da infecção.
    O reaparecimento do antígeno P24 está relacionado com a progressão para AIDS. Uso combinado de contagem de linfócitos CD4 e antígeno P24 aumentam a eficácia para determinação da progressão para AIDS quando comparado com a contagem de CD4 isolada. Pacientes positivos para antígeno P24 tem risco 8,0 vezes maior de desenvolver SIDA e m 12 a 36 meses.

  3. No esclarecimento do diagnóstico de crianças menores de 18 meses.
    O diagnóstico de crianças nascidas de mães infectadas é difícil devido à presença do anticorpo materno, que atravessa a membrana placentária. A detecção do antígeno em um recém-nascido confirma a infecção e possibilita o tratamento precoce que diminui a incidência de infecções oportunistas e podendo aumentar a sobrevivência de pacientes infectados.

  4. Nos casos de sorologia indeterminada ou inconclusível.
    A presença do antígeno no soro pode comprovar a infecção pelo HIV. Porém, como a sensibilidade do exame é baixa na fase assintomática, um resultado negativo não exclui a possibilidade de infecção.

  5. Na monitorização da terapia antiviral.
    A antigenemia P24 diminui após início da terapia antiviral. Há uma redução média de 71 a 82% quando comparado com dosagens do antígeno P24 basais. Com o tratamento da amostra com ácido, que promove a liberação do antígeno sequestrado pelo imunocomplexo (P24-antiP24), há melhora da sensibilidade deste teste na fase assintomática. Assim, a sensibilidade na população assintomática, que era 20% pelo en saio convencional, aumenta para cerca de 50%. A especificidade deste exame é de 100%. O antígeno P24 pode ser quantificado, se solicitado no pedido médico.

Referências Bibliográficas:

  1. Borkowsky W. et ai. Early diagnosis of human immunodeficiency virus infecúon in children < 6 months of age. J. infecl dis. 1992; 166:616-9.
  2. Collier A.C. et al. A pilot study of low-dose Zidovudine in human immunodeficiency virus infection. N. Engl. J. Med. 1990; 323:1015-21.
  3. Eyster M.E. et ai. Preditive markers for the acquired immunodeficiency vinis I disease progression in hemophiliacs. Am. J. Hematol. 1990; 34: 204-9.
  4. Healey D.S. et al . A preffiffinary evaluation of five HIV antigen detection assays. J. Virol. Meth. 1988; 20:115-25.
  5. Kageyama S. et al. An improved method for the delection of IUV antigen in the blood of carriers. J. Virol. Meth. 1988; 22: 125-31.
  6. Lambert SJ. et al. DDI in patients with AIDS or AIDS-related complex. N. Engl. J. Med. 1990; 322:1333-40.
  7. Mac Donel K.B. et al. Predicting progression to AIDS: combined usefulness of CD4 lymphocyte counts and P24 antigenemia. Am. J. Med. 1990; 322: 166-72
  8. Mohan M.R. et al. An improved method for monitoring efricacy of anti-retroviral therapy in HIV-infected individual. J. CI. Lab. Analysis 1992; 6: 125-129.
  9. Moss A.R. et al. Seropositivity for HIV and the development of AIDS or AIDS-related condition. BMJ 1988; 296-745-50.