LogoLHP

Anticorpo Anti-Tiroperoxidase ou Anticorpo Anti-TPO

Anticorpo Anti-Peroxidade (ANTI-TPO)

A importância do anti-TPO no diagnóstico e controle de pacientes com Hashimoto, especialmente a resposta ao tratamento com tiroxina, foi salientada por Rieu, M. e cols (1).

No controle da doença de Graves o anti-TPO foi utilizado juntamente com o TRAb no controle da terapêutica com anti-tireoidianos associada a tiroxina no trabalho de Hashizume (2).

Rote, E e Cols (3) mostraram a presença de anti-TPO em idosos , 348 mulheres e 94 homens. O anti-TPO foi superior aos Anticorpos Microssomal e Tireoglobulina não só no percentual de positividade como no nível de seus valores.

Massart, C e Cols (4) informam que o anti-TPO poderá substituir com vantagem o anti-microssomal no Graves, num estudo em 52 pacientes.

A alta incidência de positividade do Anti-TPO em Hipotireoidianos tem sido ressaltada (5).

Títulos baixos de Anti-TPO se correlacionam com baixa infiltração linfocitária e títulos elevados indicam doença tireoidiana autoimune. Raramente vão aparecer títulos baixos ou indosáveis no Graves e no Hashimoto (6).

O Anti-TPO positivo na gravidez pode predizer a tireoidite pós-parto (7).

No Hashimoto e no Graves, o Anti-TPO vai sendo suprimido na terapêutica com tiroxina e anti-tireoidianos (7).

MÉTODO: IRMA

VALOR DE REFERÊNCIA: Menor do que 15U/mL

IMPORTANTE!
Quando o médico solicitar anticorpos anti-tireoidianos faremos , microssomal e tireoglobulina. Será feito o anti-TPO apenas se vier especificado.

Ref. Bibliográficas
  1. Rieu, M. e cols. Clin.Endocr.40(4):529-535, 1994
  2. Hashizume, K. e cols. N.Engl.J.Med 324:947-953, 1991
  3. Rote, E. e cols. Clin.Chem. 38(1):88-92, 1992
  4. Massart, C. e cols. Clin.Chem 37(10Pt 1):1777-1780, 1994
  5. Nordyke, RA. e cols. Arch Intern Med 153:862-5, 1993.
  6. Haubruck, H. e cols. Autoimmunity 15:275-84, 1993.
  7. Volpé, R. Clin. Chem 40/11B, 2132-2145, Nov, 1994.